Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Educação
Início do conteúdo da página

Faculdade de Educação

Publicado: Quinta, 15 de Setembro de 2016, 22h56 | Última atualização em Sexta, 13 de Outubro de 2017, 12h34

Projetos

Natureza do Projeto: Pesquisa

Título do projeto: Realidade didático - pedagógica e tecnológica dos Cursos de Pedagogia da Universidade Federal do Pará - Campus Universitário do Tocantins/Cametá e as implicações na formação docente

Resumo: O presente projeto de pesquisa intitulado: “Realidade didático - pedagógica e tecnológica do Curso de Pedagogia da Universidade Federal do Pará - Campus Universitário do Tocantins/Cametá e as implicações na formação docente”, tem como objetivo identificar e analisar a oferta da estrutura didático- tecnológica que o Campus Universitário do Tocantins disponibiliza para os Cursos de Licenciatura Plena em Pedagogia, incluindo núcleos e pólos, e as implicações na formação docente.

Data de início: 03/2017     Data de término: 12/2017

Coordenadora: Maria Sueli Corrêa Prazeres
Bolsista(s):
Voluntário(s): Reliane Wanzeler de Souza; Ilda Gonçalves Batista, Benilda Miranda Veloso Silva, Rayane Patricia Vieira Assunção, Cristiane Cunha, Tamires Brito Pantoja, Aida dos Santos Barra

Agência financiadora:

Natureza do Projeto: Pesquisa

Título do projeto: TRANSPORTE ESCOLAR NA AMAZÔNIA: MAPEAMENTO PARTICIPATIVO DAS ROTAS DE TRANSPORTE  ESCOLAR DE  ENSINO  FUNDAMENTAL  DE  ESCOLA DO CAMPO DOS  MUNICÍPIOS DE  CAMETÁ E LIMOEIRO DO AJURU NO ESTADO DO PARÁ.

Resumo: O projeto de pesquisa intitulado: Transporte escolar na Amazônia: Mapeamento Participativo das Rotas de Transporte Escolar de Estudantes do Ensino Fundamental de Escolas do Campo dos Municípios de Cametá e Limoeiro do Ajuru no Estado do Pará no âmbito geral pretende compreender o sistema do transporte escolar como um novo componente de configuração da territorialidade para definição de políticas de acesso e permanência nas escolas ribeirinhas dos alunos do ensino fundamental dos municípios de Cametá e Limoeiro do Ajuru/PA. Tudo isso, tendo em vista, as condições em que os estudantes desses municípios enfrentam para se deslocar até as escolas, particularmente por meio do transporte escolar ofertado. Assim, é fundamental para compreender as condições de acesso da educação e permanência nas escolas. Por meio dessa pesquisa buscamos conhecer e analisar os referenciais espaciais de localização e orientação, elementos de marcação simbólica e identificação territorial (vínculo afetivo) que os estudantes ribeirinhos constroem em seus trajetos até a escola. Dessa forma, por meio da metodologia do mapeamento participativo, produziremos mapas que possibilitem visualizar e reconhecer o modo como os estudantes ribeirinhos do ensino fundamental se orientam e representam o território no qual vivem e se deslocam com o transporte escolar das ilhas. Espera-se que com isso possamos construir referências para redefinir rotas, trajetos e portos de embarque e desembarque para o transporte escolar, de acordo com as especificidades territoriais das ilhas. Também se busca construir indicadores sócio educacionais de qualidade para a organização espaço-temporal do transporte escolar ribeirinho, com a valorização dos conhecimentos geográficos locais dos estudantes das escolas ribeirinhas de ilhas dos municípios de Limoeiro do Ajuru e Cametá.

Data de início: Agosto de 2017    Data de término: Julho de 2018

Coordenador(a): ERALDO SOUZA DO CARMO

Bolsista(s): Franciely Farias da Cunha

Agência financiadora: PIBIC - CNPq 

Natureza do Projeto: Pesquisa

Título do projeto: TRANSPORTE ESCOLAR NA AMAZÔNIA: MAPEAMENTO PARTICIPATIVO DAS ROTAS DE TRANSPORTE  ESCOLAR DE  ENSINO  FUNDAMENTAL  DE  ESCOLA DO CAMPO DOS  MUNICÍPIOS DE  CAMETÁ E LIMOEIRO DO AJURU NO ESTADO DO PARÁ.

Resumo: O projeto de pesquisa intitulado: Transporte escolar na Amazônia: Mapeamento Participativo das Rotas de Transporte Escolar de Estudantes do Ensino Fundamental de Escolas do Campo dos Municípios de Cametá e Limoeiro do Ajuru no Estado do Pará no âmbito geral pretende compreender o sistema do transporte escolar como um novo componente de configuração da territorialidade para definição de políticas de acesso e permanência nas escolas ribeirinhas dos alunos do ensino fundamental dos municípios de Cametá e Limoeiro do Ajuru/PA. Tudo isso, tendo em vista, as condições em que os estudantes desses municípios enfrentam para se deslocar até as escolas, particularmente por meio do transporte escolar ofertado. Assim, é fundamental para compreender as condições de acesso da educação e permanência nas escolas. Por meio dessa pesquisa buscamos conhecer e analisar os referenciais espaciais de localização e orientação, elementos de marcação simbólica e identificação territorial (vínculo afetivo) que os estudantes ribeirinhos constroem em seus trajetos até a escola. Dessa forma, por meio da metodologia do mapeamento participativo, produziremos mapas que possibilitem visualizar e reconhecer o modo como os estudantes ribeirinhos do ensino fundamental se orientam e representam o território no qual vivem e se deslocam com o transporte escolar das ilhas. Espera-se que com isso possamos construir referências para redefinir rotas, trajetos e portos de embarque e desembarque para o transporte escolar, de acordo com as especificidades territoriais das ilhas. Também se busca construir indicadores sócio educacionais de qualidade para a organização espaço-temporal do transporte escolar ribeirinho, com a valorização dos conhecimentos geográficos locais dos estudantes das escolas ribeirinhas de ilhas dos municípios de Limoeiro do Ajuru e Cametá.

Data de início: Agosto de 2017    Data de término: Julho de 2018

Coordenador(a): ERALDO SOUZA DO CARMO

Bolsista(s): Franciely Farias da Cunha

Agência financiadora: PIBIC - CNPq 

Natureza do Projeto: Pesquisa

Título do projeto: EXPERIÊNCIAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO FUNDAMENTAL MENOR: O LDP COMO OBJETO DE MEDIAÇÃO DIDÁTICA.

Resumo: As universidades são instituições que existem para promover o desenvolvimento social, a partir do conhecimento sistematizado, e atender às necessidades das demandas locais e globais de uma conjuntura. Neste sentido, um dos maiores desafios que têm se colocado as esferas institucionais de ensino superior, têm sido a tentativa de confluência do tripé ensino-pesquisa-extensão, os quais por muitas vezes se apresentam como blocos monolíticos dissociados, os quais ainda teimam pela negação do diálogo em suas múltiplas possibilidades na produção do conhecimento, bem como uma maior aproximação com o mosaico social. No entanto, não se pode negligenciar que a própria fragmentação a qual caracteriza a emergência do paradigma dominante da ciência moderna, surge como um elemento fundamental desse “descolamento” das práticas acadêmicas com a realidade dos sujeitos sociais. Por outro lado, não se pode afirmar esse como somente o único problema hoje enfrentado nas tentativas dessas confluências no diálogo da universidade com os diversos setores da sociedade. Tais problemas se colocam em várias esferas, os quais ultrapassam as fronteiras e problemáticas exemplarmente apresentadas acerca da ciência enquanto forma sistematizada de leitura do mundo em sua complexidade.

 O conhecimento da ciência em si não transforma o mundo. Sua relevância para o social está além de um ato monológico ou tautológico; esta nas ações empreendidas por sujeitos que se dão novos significados em contextos socialmente situados num tempo e num espaço histórico. É neste sentido que propomos este Projeto de Pesquisa junto a Faculdade de Educação da UFPA (Campus de Cametá), na medida em que empreende um conjunto de reflexões teóricas e previsões das ações, das práticas embasadas em opções político-pedagógicas situadas na problemática social, política e cultural da realidade local onde a Universidade se constitui parte integrante.

Data de início: Agosto de 2017    Data de término: Agosto de 2018

Coordenador(a): Prof. Msc. ROSINÉLIO RODRIGUES DA TRINDADE
Voluntário(s): Léia Milena Costa Pinto

 

Natureza do Projeto: Pesquisa

Título do projeto: FORMAÇÃO, TRABALHO E UNIVERSIDADE: ANÁLISE DO PERFIL DE FORMAÇÃO DE TRABALHADORES UNIVERSITÁRIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA NO MUNICÍPIO DE CAMETÁ/PA.

Resumo: 

As universidades têm se constituído ao longo de sua história em instrumentos propulsores de desenvolvimento, compreendendo aqui desenvolvimento em seu sentido mais amplo possível que engloba as questões econômicas, focos privilegiado daqueles sujeitos que tem no mercado a centralidade de suas ações, mais também os valores sociais, culturais e políticos.

É possível observar esse dinamismo das Universidades mesmo quando estas estiveram no centro de suas ações a formação das elites dirigentes mesmo ali seu papel extrapola a racionalidade que lhe é imposta fornecendo subsídios científicos que pela amplitude acabam sendo instrumentos que podem ser utilizados em beneficio de todos.

Esse dinamismo das Universidades ocorre principalmente pelo esforço que se realiza em beneficio de sua autonomia, o que tem sido o principal instrumento que as torna cada vez mais fortalecidas, o esforço que é feito para se consolidar as relações democráticas no interior das Universidades, tem permitido que as ciências, as artes e o livre pensamento se tornem cada vez mais instrumentos de conflitos e renovação, na medida em que o uso da crítica, da negação do pronto e acabado é o que permeia o dia a dia dos espaços acadêmicos.

As Universidades no Brasil são recentes, se consideramos que as mais antigas do mundo têm mais de um milênio e as mais velhas daqui têm um pouco mais de um século, isso demonstra as limitações que estes espaços acadêmicos tem, que vão desde a fragilidade da produção do conhecimento, efetiva autonomia da gestão cientifica e financeira, até carência de espaço físico para funcionamento de seus cursos, laboratórios etc. O que não tem impedido as instituições do país, por meio de suas comunidades acadêmicas, mobilizarem ações em diversos campos visando consolidar uma dinâmica de estruturação  livre da sociedade.

Partindo dos pressupostos apresentados é possível afirmar que a Universidade se constitui em um instrumento fundamental para a consolidação do desenvolvimento, entendido aqui da forma mais ampla possível englobando a economia, a cultura em suas diversas matizes, a política e o social. Daí sua importância no processo de formação profissional de nossos jovens universitário trabalhadores. A universidade precisa apresentar para os jovens brasileiros uma possibilidade de formação que negue essa formação técnica e instrumental que se hegemoniza, caminhando em perspectiva de uma formação de vez humanizada. Buscar-se á analisar o perfil de dos universitários trabalhadores do curso de pedagogia, com intuito de compreender as implicações da inserção profissional precoce de jovens universitários no mundo do trabalho.

Data de início: Agosto de 2017    Data de término: Agosto de 2018

Coordenador(a): JOÃO BATISTA DO CARMO SILVA
Bolsista(s): Alessandro de Sá Guedes, Reliane Wanzeler de Souza.
Voluntário(s): Adelmo Viana Wanzeler, Gilvandro Freitas de Medeiros, Tassio William Tavares Ribeiro, Vadivaldo Gonçalves Pereira.

Agência financiadora: PIBIC - CNPq

 

Natureza do Projeto: Pesquisa

Título do projeto: AVALIAÇÃO DO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) EM MUNICIPIOS DO PARÁ: UM ESTUDO NOS MUNICIPAIS DE CAMETÁ, BARCARENA, ALTAMIRA, BELÉM E CASTANHAL NO PERÍODO DE 2007-2011.

Resumo: O Projeto Avaliação do Plano de Ações Articuladas (PAR) em municípios do para: um estudo nos municípios de Cametá, Barcarena, Altamira, Belém e Castanhal, no período de 2007-2011 tem por objetivo analisar a implantação do PAR enquanto uma política pública no contexto das atuais políticas educacionais. O pressuposto de estudo é de que as políticas públicas são resultados de demandas sociais, e por isso possuem as marcas da contradição pelas disputas entre as classes sociais e sendo estas contextuais e históricas. Por serem influenciadas fortemente pelo processo de produção capitalista as políticas públicas educacionais na Amazônia como direitos sociais ainda são incipientes enquanto conquistas das populações, pois os “projetos de desenvolvimento” não tem contribuído para garantia de cidadania das populações, sendo contraditórios e alinhados com a direção impressa pelo reordenamento do sistema capitalista. A pesquisa contempla aspectos qualitativos e quantitativos e utilizará a base de dados do MEC, INEP e FNDE, especificamente, do Censo Escolar identificando informações sobre práticas pedagógicas e avaliação nas escolas, formação de professores e gestão democrática do sistema e das unidades, de modo a avaliar o impacto da implementação do PAR na melhoria da educação no período de estudo de 2007 até 2011 em face do aperfeiçoamento das redes pela realização das ações demandadas para isso. Espera-se com esse estudo analisar as configurações das redes municipais e evidenciar mudanças ocorridas nos indicadores educacionais desses municípios do Pará considerando alguns dos aspectos de, pelo menos três dimensões previstas no PAR, espera-se ainda, contribuir com a formação de alunos de graduação, pós-graduação e dos professores da educação básica. Objetiva-se, ainda subsidiar as secretarias municipais e as escolas participantes da pesquisa no que se refere à adoção de políticas que visem a melhoria dos índices educacionais.

Data de início: Agosto de 2017    Data de término: Agosto de 2018

Coordenador(a): ODETE DA CRUZ MENDES
Bolsista(s): Kleicy Helen de Sena Rodrigues
Agência financiadora: PIBIC - CNPq

 

Natureza do Projeto: Pesquisa

Título do projeto: A REFORMA DO ENSINO MÉDIO E O SISTEMA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO: UM ESTUDO A RESPEITO DOS DESAFIOS DA GESTÃO EDUCACIONAL DA 2ª URE E DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ENSINO MÉDIO DA CIDADE DE CAMETÁ/PA.

Resumo: O Presente Projeto de Pesquisa pretende estudar os impactos da reforma do ensino médio na gestão educacional da 2ª unidade Regional de Educação e das unidades escolares estaduais de Cametá. Neste sentido busca caracterizar as principais estratégias e ações implementadas pela unidade regional como vista a qualidade de ensino e o alcance das metas do índice de Desenvolvimento da Educação Básica IDEB.

Este estudo, também, irá analisaras tendências político-econômicas presente no contexto histórico da aprovação da reforma do ensino médio. O conhecimento dos interesses de uma política pública educacional se configura como ponto fulcral para compreender os meios e fins que esta política quer atingir. Ou seja, as formas de organização metodológicas, curricular, de ensino, de avaliação, etc.., revelam o tipo de homem que será formado para a sociedade.

A pesquisa pretende conhecer a situação atual das escolas do ensino médio de Cametá, sua infraestrutura, organização, projeto política pedagógica, quadro de docentes e os desafios que a escola vem enfrentando em termos financeiros e gestão de projeto. A partir desse diagnóstico, analisar os avanços ou retrocessos que reforma do ensino médio poderá ocasionar no sistema estadual e unidades escolares.

Entende-se que a relevância científica deste trabalho a princípio se revela no interesse de estudar a ocorrência recente do fenômeno educacional (reformado ensino médio) em uma das etapas da educação básica brasileira e os impactos que este fenômeno poderá gerar na gestão educacional do ensino médio. Nesse sentido, a construção de analises subsidiará os gestores escolares, coordenação pedagógica, professores e diretores das unidades regionais de educação do Pará a tomarem conhecimento, de forma sistemática, dos problemas que poderão ser gerados com a implementação das mudanças advindas da lei 13.4015/2017. Assim traçaremos planos se ações que atendam os anseios da escola e da clientela escolar.

A relevância social do projeto se destaca a partir do interesse em se discutir a qualidade do atendimento a um dos principais direitos sociais, a educação. Este projeto pretende socializar os resultados da pesquisa com a comunidade acadêmica, movimentos sociais e escolas de ensino médio público ou privadas. Além de basilar outras atividades acadêmicas, no curso de pedagogia da Universidade Federal do Pará/ Campus de Cametá, como projeto de extensão que visem realizar assessoria pedagógica as unidades escolares estaduais da microrregião Tocantina.

A relevância acadêmica desta pesquisa está na intenção de integrar alunos do campus universitário do Tocantins/Cametá/UFPA das faculdades de Pedagogia, História, Geografia, Ciências Naturais e Matemática, para estudarem este objeto, visto que atuarão profissionalmente no ensino médio, como professores ou gestores. A integração poderá se dar mediante a concessão de bolsas de estudo ou do interesse particular voluntário. O sentido da integração dos estudantes de diversas áreas do conhecimento se estriba na compreensão ao estímulo a pesquisa em política educacional nestas áreas e ao caráter interdisciplinar da pesquisa em educação.   

Data de início: Agosto de 2017   Data de término: Agosto de 2018

Coordenador(a): FRED JUNIOR COSTA ALFAIA
Bolsista(s): Rosilma Aragão Rodrigues
Agência financiadora: PIBIC – CNPq

 

Natureza do Projeto: Pesquisa

Título do projeto: EDUCAÇÃO DO CAMPO E TERRITÓRIO: MAPEAMENTO PARTICIPATIVO DE ESPAÇO- TEMPOS FORMATIVOS EM COMUNIDADES RIBEIRINHAS DA AMAZÔNIA TOCANTINA.

Resumo: O Grupo de estudo em Cultura, Território e Resistência da Amazônia Tocantina (SÍTIO), vinculado à Faculdade de Educação, em parceria com a Faculdade de Geografia e a Faculdade de Educação do Campo da Universidade Federal do Pará, Campus Universitário do Tocantins /Cametá, Propõem realizar a pesquisa: “Educação do Campo e Território: Mapeamento Participativo dos Espaços-tempo Formativos em Comunidades Ribeirinhas da Amazônia Tocantina”.

A Amazônia Tocantina paraense nana área à jusante da UHT apresenta atualmente uma configuração territorial muito especifica na Amazônia brasileira. Malheiro e Trindade Jr.(2009), caracterizaram as singularidades e particularidades das realidades  sócio- espaciais” dos municípios que compõem essa configuração territorial como marcadas por uma situação entre rios, estradas e grande projetos”. Os rios, sendo o principal o rio Tocantins, constituem-se em um meio natural diversificado. “Esse meio geográfico” apresenta: ilhas, lagoas, várzeas, terra firma, campo de  natureza e florestas diferentemente apropriados e articulados a dinâmicas e estruturas territoriais locais, regionais, bem como a redes, relações, processo e dinâmicas sócio espaciais de abrangência nacionais e internacionais. As estradas articulam e atravessam a terra-firme, campo de natureza e rios articulando cidades (ribeirinhas), vilas, colônias agrícolas, terras indígenas e quilombolas, reservas e portos fazendas e indústrias, etc.

A formação histórica e a condições dinâmicas naturais às apropriações e usos dos rios tornaram expressivas as comunidades ribeirinhas localizadas em ilhas, várzeas e barrancos de rios em todos ao município da Amazônia Tocantina paraense, no baixo curso do rio Tocantins, na área à jusante da Usina Hidrelétrica de Tucuruí (UHT). Além disso, temos compondo essa configuração territorial reservas indígenas (cerca de 200 km²),áreas de quilombo(634km²),e UC de uso sustentável (1.480 Km²), considerando os 11 municípios da RI Tocantins 2.318 km2 de áreas protegidas, do total de 35.968km² da região (PARÁ,2010:314). O município de Oeiras do Pará é o que possui mais áreas protegidas do seu território de toda RI Tocantins (1.000km²) seguido de Baião (750 km²).

Essa estrutura territorial está relacionada a processos e dinâmicas bastante complexas, a uma multiplicidade de territórios e  territorialidades de agentes e instituições diversas, com temporalidades distintas e um padrão de poder de diferentes alcance e sentido. Diversos territórios municipais, a maioria foi constituído antes da década 1960 (ou seja, antes da Constituição de 1988), em diferentes períodos; recortam e configuram a região, apresentado diferentes dimensões, infraestrutura e capacidades político-administrativas, mas com um forte relação com rio Tocantins e com traços culturais, econômicos e políticos comuns. Um traço comum entre os municípios dessa região diz respeito a distribuição da população, em sua maioria localizada na zona rural.

Data de início: Agosto de 2017    Data de término: Agosto de 2018

Coordenador(a): EDIR AUGUSTO DIAS PEREIRA 
Bolsista(s): Odeon da Silva Rodrigues e Leticia dos Santos Furtado
Agência financiadora: PROEX

 

Natureza do Projeto: Pesquisa

Título do projeto: AS VILAS E SEUS ESPAÇOS DE FORMAÇÃO: O CURRÍCULO ENTRE O CAMPO E A CIDADE

Resumo: Observamos nas últimas décadas a consolidação de uma discursão teórico-prática sobre a Educação do Campo reafirmando as intencionalidades das lutas dos povos que vivem e trabalham no campo por uma educação que dialoguem com seus interesses, saberes, experiências de vida, valores culturais e suas especificidades sociais e culturais.

É uma produção teórica sobre educação que nasce e se volta para a realidade da população que se situa fora dos espaços urbanos. No interior dessa teorização a educação urbana é utilizada como o outro lado da educação que se quer para o campo. Ao se afirmar e reafirmar a educação do e no campo a educação que temos é apontada como sendo eminentemente pensada, elaborada e implementada para a população que vive nos espaços urbanos desconsiderando as especificidades da população do campo. Uma expressão bastante usada pelos defensores da educação do campo para caracterizar a educação que temos “Educação Urbano Centrica”.

A minha inquietação é que no meio dessa discussão, ou melhor, produção epistemológica, os espaços em que há uma concentração populacional que tem ligação direta com o campo; ou seja, as vilas são esquecidas. As vilas são espaços que se situam entre o campo e a cidade, pois apresenta uma população reduzida em relação à da cidade (não é cidade), mas ao mesmo tempo apresenta uma urbanização e, além disso, a grande maioria tem ligação com o trabalho do campo, mas reside nesses espaços urbanizados.

Tornou-se comum falar dos povos das águas e das florestas, do povo ribeirinho, dos quilombolas, dos assentados etc., mas não se faz referência à população das vilas.

Esse tipo de organização populacional é muito comum no município de Cametá /PA, o qual possui cerca de sete Vilas, dentre elas a vila de Porto Grande. Esse espaço tem avançado nas últimas décadas na ampliação da oferta de vagas em toda a educação básica (Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio) e suas modalidades (principalmente na Educação de Jovens e Adultos e Educação Inclusiva). Essa ampliação tem, inclusive, produzido uma demanda cada vez maior de candidatos ao Ensino Superior.

Data de início: Agosto de 2017    Data de término: Agosto de 2018

Coordenador(a): IVANILDO DO SOCORRO MENDES GOMES
Bolsista(s): Carlos Meireles Portilho
Agência financiadora: PIBIC - CNPq

Natureza do Projeto: Pesquisa/Extensão

Título do projeto:

Resumo:

Data de início: NN/NNNN     Data de término: NN/NNNN

Coordenador(a):
Bolsista(s):
Voluntário(s):

Agência financiadora:

 

Informações complementares

(sites e blogs relacionados à Faculdade, etc.)

https://www.facebook.com/faedcameta/?ref=settings

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página